Opções em um mundo livre

Posted by OgMaciel on May 8th, 2008 filed in Mandriva

Observação importante: Este artigo não será publicado no Planeta Ubuntu Brasil para evitar qualquer consternação entre os autores do mesmo. O assunto aqui discutido é conteúdo de minhas idéias pessoais e de forma alguma representa a opinião de nenhum grupo.

Esta semana começou um pouco tumultuada para a turma do Planeta Ubuntu Brasil, devido a um artigo publicado pelo José Vitor. O artigo em si não tinha nada de grave na minha opinião, mas algumas dos autores que fazem parte do planeta o interpretaram como um ataque desnecessário à imagem do Ubuntu… outros, como eu, viram um artigo onde o autor relata a sua frustação com o que ele chama de “sistema obeso”.


O problema, de acordo com alguns dos autores que se manifestaram na lista de discussão reservada somente para os autores do Planeta, foi duplo:

• Criticas que poderiam afastar potenciais usuários deste distro;
• O fato que outra distribuição, Foresight Linux, foi mencionado em um terreno obviamente focado no Ubuntu;

A discussão que rolou não foi nada sadia para os envolvidos, e como todo flamewar que rola nos bastidores do mundo de software livre, entre mortos e feridos, quase todos se salvaram… quase todos por que um dos autores foi removido da lista de discussão involuntariamente, mas isso é assunto para outra outra vez…

O problema, na minha opinião (e algumas vezes mencionada durante a discussão), é que muitos desejam que o Planeta seja um agregador de artigos sobre a distribuição, e não um agregador de blogs de pessoas vinculadas à distribuição, idéia original quando eu propuz a sua criação (veja https://lists.ubuntu.com/archives/ubuntu-br/2005-October/001597.html).

Mas como tudo na vida muda, com a saída e entrada de novos autores, o propósito do Planeta foi lentamente sendo modificado para se tornar um agregador de notícias voltadas somente ao software livre, mas excluindo qualquer outra distribuição GNU/Linux de seu roteiro. Com esta “evolução” eu mesmo tive de modificar o meu feed para que somente assuntos relacionados ao Ubuntu fossem agregados. Para muitos, esta atitude faz sentido, pois a grande maioria dos leitores são usuários do Ubuntu e não querem saber como se instala o programa X na distribuição Y!

Infelizmente esta mentalidade e atitude tem o seu lado negativo para o usuário que deseja manter uma mente mais aberta e não se ofende ao ler matérias expondo outras opções neste grande leque de sistemas operacionais baseados no GNU/Linux que hoje povoam o mundo sdo software livre. Claro que se eu ficar um dia interessado em distribuição Y, é só procurar no Google que você encontra toneladas de sites com artigos de apresentação, mas será que é tão ofensivo assim mencionar nomes de outras distribuições junto ao nome do Ubuntu?

Bem, a discussão causada pelo artigo do Sr. José Vitor mostrou mais uma metamorfose que o planeta sofreu nos últimos meses, onde existe uma nova “regra” condenando artigos que sejam negativos à imagem do Ubuntu. A “lógica” é, mais uma vez, “o que os olhos não lêem, o coração não sente!” Onde será que eu já vi isso? Um sistema operacional que tenta ao máximo esconder seus problemas até o último momento? Já vi este filme antes…

Mas quero deixar algo bem claro: esta mentalidade é proveniente de alguns autores do Planeta Ubuntu Brasileiro e não necessariamente da distribuição!

Então quero aproveitar a oportunidade para fazer a minha sugestão sobre qual distribuição, você leitor deste blog, deveria usar segundo a minha opinião. Mas opinião é igual… nariz; cada um tem o seu!

Ubuntu: Para quem quer um sistema fácil de instalar e que não requere conhecimento nenhum de sistemas operacionais OU para aqueles que não se preoculpam mais com compilar seu sistema para deixá-lo enxuto. Este seria o sistema que eu recomendaria ao meu pai!
Mandriva: Para quem quer um sistema fácil de instalar (não, não estou me repetindo, ou você pensa que só existe um sistema GNU/Linux fácil de usar?) e um sistema bem polido e apresentável!
Fedora: Para quem precisa de um sistema que acompanha os lançamentos de tecnologia de ponta E precisa de algo que seja bem parecido com o RHEL em termos de arquitetura e comandos do sistema. Para os leitores que são administradores de sistemas, o Fedora te permite ter um mini-RHEL onde você pode brincar à vontade.
Foresight: Para os fanáticos do GNOME, tecnologia de ponta, com acesso à banda larga e senso de aventura! O sistema de gerenciamento de pacotes por si só vale a pena! Este é o sistema que vou instalar para o meu pai, mas só porque eu também uso e fica mais fácil prestar serviços.  ;)
Arch: Para quem quer um sistema enxuto, leve, e não tem medo da linha de comando. O sistema de gerenciamento de pacotes, pacman, é simplesmente genial!

Claro que existem outros sistemas que merecem atenção, como o Debian, Gentoo, Slackware, etc… Todos capazes de fazer tudo que os outros mencionados podem fazer, uns de forma menos dolorosa que outros. Mas os sistema citados acima são os que eu recomendo aos amigos e desconhecidos, depois de escutar sobre os seus motivos e necessidades.

A beleza do software livre é justamente este poder de escolha que cada um tem ao escolher seu sistema e programas. Facilitar o acesso à este tipo de informação é muito importante para quem se chama de amante de software livre… mas tomar a decisão pelos outros é pura hipocrisia!


20 Responses to “Opções em um mundo livre”

  1. Iron Junior Says:

    O interessante de estar no mundo livre, é ter inúmeras opções para as inúmeras necessidades e gostos.

    Eu sei que acabamos, as vezes sem querer, defendendo a distro que mais gostamos (é praticamente como torcer para um time de futebol), não sei, mas o que senti ao entrar no mundo livre (a uns 5 meses) é que gostamos tanto, que parece que temos que retribuir um favor… É estranho, ao mesmo tempo bom, mas acho que é isso que acaba gerando um certo fanatismo, uma certa vontade de defender.

    Acho que é isso que faz com que o pessoal se exceda a ponto de “tomar a decisão pelos outros”. Por isso achei muito interessante essa sua abordagem, para abrir um pouco mais a cabeça de todos que ao mesmo tempo que estão usando um sistema livre, estão se “fechando” nele.

  2. Lauro César Says:

    Parabéns pela lucidez Og!

    Não esperaria outra coisa de você.

    Um abraço.

  3. Anderson Says:

    Confirmo que estranhei o post do José Vitor, mas entendi o ponto de vista dele. Afinal, o dia em que uma pessoa não puder fazer isso, é bom parar e analisar o que está acontecendo, pois com certeza haverá muita coisa errada… Fiz um bookmark para a dica dele, mas por enquanto vou continuar com o Ubuntu que oferece o que eu estou procurando…

  4. Daniel Docki Says:

    Creio que o pessoal exagerou um pouquinho…mas acho que tem que considerar o que o José Vitor postou, porque se autocriticando é a melhor forma de arrumar casa…

    Toda semana que mesmo me autocritico, sempre buscando melhorar, é dessa forma que a comunidade do Ubuntu deveria ser, se autocriticando vamos estar sempre melhorando o sistema, colocar os problemas debaixo do tapete não é a melhor forma de querer melhorar o seu sistema predileto…

  5. Leandro Says:

    Grande Og,

    Mestre, estou afim de testar a tua distro. Me diz uma coisa: ela é baseada em alguma distro ? Debian, Ubuntu ou outra ?

    Um grande abraço do colega Leandro.

  6. Leandro Miranda Says:

    Kara vc nao é o dono da verdade.. mais falou tudo e da maneira mais correta possivel…

    Muito bom….

  7. Leandro Says:

    Mestre,
    Estou afim de testar a tua distribuição. Me diz uma coisa: Ela é baseada em alguma outra distribuição, por exemplo Debian, Ubuntu ou algo assim ?

    Um abraço do colega Leandro.

  8. Fábio Rabelo Says:

    Me desculpe, mas isto me lembra dos tempos da censura, quando opiniões contra o governo não eram permitidas nos jornais !!!
    Um tremendo retrocesso ….
    Se o Ubuntu fosse perfeito, ninguém mais usaria nenhuma outra distribuição, e somente críticas podem melhorar o que já existe …
    Depois desta acho que vou parar de verificar diariamente o conteúdo do Planeta Ubuntu Brasil !!!!!

  9. pibarnas Says:

    A spirit stronger than war was at work that night
    December 1914 cold, clear and bright
    Countries’ borders were right out of sight
    They joined together and decided not to fight

  10. D4LT0N Says:

    Essa notícia me decepcionou um pouco em relação à comunidade brasileira ao redor do Ubuntu. Contudo, ainda bem que, pelo que entendi em seu artigo, a maioria ainda tem a mente aberta.

    Enfim, gostei do seu artigo, Og, e concordo integralmente.

    Digo que, para exemplificar, eu por exemplo uso majoritariamente o Ubuntu, mas vivo testando, instalando e usando outras distribuições também. Um dos motivos pelos quais o Ubuntu domina aqui ainda é porque vivem pedindo minha ajuda em relação a ele, então eu procuro ter na ponta da língua a solução aos problemas mais comuns. Mas com isso eu também identifico que alguns problemas são recorrentes nessa distribuição, assim como outros são recorrentes em outras. É natural. Temos sim toda liberdade para apontar falhas, para criticar, etc. Afinal, é isso que torna nossas distribuições melhores a cada dia!

    Ontem mesmo, enquanto assistia aula no laboratório e usava o Ubuntu no laptop, um colega que nunca tinha visto o sistema encheu-me de perguntas e se interessou. O que mais chamou-lhe a atenção foram os efeitos do Compiz, naturalmente. Uma de suas perguntas era em relação ao consumo de memória pelo sistema e perguntou se rodaria legal em uma máquina com 512MB de RAM. Naquele momento estava ocupando cerca de 450MB, mas eu estava com vários aplicativos abertos. O que eu respondi é que em casa meu irmão usa perfeitamente uma máquina com essa quantidade de RAM e o Ubuntu mais novo (inclusive com alguns jogos como o AssaultCube), mas que, se alguém desejar mais performance, o próprio Ubuntu tem alternativas mais leves (XFCE/xubuntu-desktop).

    O ubuntu-desktop, ao meu ver, não está tão mal em relação ao peso, pois seu propósito não é o de ser leve. Suas funcionalidades justificam o consumo de recursos. Porém, para quem deseja ou necessita algo mais enxuto, a própria distribuição tem alternativas! Uma delas é o xubuntu-desktop, que inclusive é também distribuído autonomamente pela Canonical (Xubuntu). Qual é o problema de apontar essas alternativas, mesmo que sejam outras distribuições? Não vejo por que ficar apenas exaltando as qualidades do ubuntu-desktop.

    O artigo do Jose Vitor, ao meu ver, critica duramente o peso da distribuição padrão e indicou alternativas, não apenas o Foresight, mas ensinou os leitores que possam estar insatisfeitos com o peso do Ubuntu padrão a instalarem o LXDE. Ora, vejo que isso vem a contribuir, não a lesar.

  11. Mayck Xavier Says:

    Na boa… Eu achava que a galera do software livre era mais cabeça aberta.

  12. Evandro Pastor Says:

    Saudações do mangue Og!

    Creio que enquanto existirem usuários de computador que acham que o Sistema Operacional é tão importante quanto seu time de futebol ou sua religião, teremos discussões acaloradas a respeito.

    Não creio que esconder os problemas do sistema seja uma boa política (sim, também vi isso em algum lugar) muito pelo contrário.

    Eu entendo o José Vitor, também tenho uma máquina mais vellhinha e sinto que o Ubuntu está pesado em sua configuração default. Mas é fato: a cada release de qualquer distro a tendência é que fique mais pesada. Porém mesmo que o Ubuntu seja um paquiderme descomunal, existem maneiras ou outras opções de colocar o sistema de forma a atender suas necessidades.

    Realmente não acho que o artigo queimou o filme do Ubuntu. Ele foi verdadeiro e levantou uma questão bem interessante: será que o pessoal da comunidade esqueceu que existem máquinas mais antigas rodando por ai? Será que esqueceram que existem usuários que querem instalar um sistema de qualidade, e usável, em um pc com 256 de memória?

    No fim das contas tudo funila para um ponto: o Linux no Desktop… A questão não é se ele está pronto ou não, mas se está preparado para qualquer desktop e para qualquer usuário.

    Ah sim, eu to usando o Ubuntu 8.04.

  13. guto carvalho Says:

    Olá,

    Faço parte do planeta também, fiquei surpreso pelo tamanho da thread, mais de 70 msgs em poucos dias, eu estava no meio do Pará com conexão via satélite bem instável, nem participei da thread pois ela foi tomando rumos inesperados, continuo contribuindo pelo ubuntu e pelo software livre em geral, espero que este tipo de desentendimento acabe para o bem da comunidade brasileira de ubuntu.

    O problema é que isso geralmente acaba em um fork, estimulando o pessoal mais aberto a criar um planeta ubuntu menos “rígido” e mais livre, como a própria liberdade do SL prevê.

    Esperemos que não, afinal já existe o planetagnulinuxbrasil para isto :)

    Em alguns momentos parece que ser blogueiro do planeta é considerado quase um “trabalho”, quando na verdade o objetivo é reunir blogs que falam de SL e Ubuntu, a tentativa de “profissionalizar” o planeta faz com que percamos conteúdo rico e criativo, pois tira a essência pura dos blogs, com todas as suas particularidades e começa-se a oferecer um conteúdo frio, técnico, sem espaço para humor, amizade e entretenimento.

    Vou torcer para que a essência da contribuição livre continue viva no planeta ;)

    Abraços,

  14. Diego Says:

    Lamentável… Acho que críticas e comparações são bem vindas no planeta.

  15. Notas de um usuário final [mantendo o Ubuntu para seres humanos] « contra-senso Says:

    [...] o que aconteceu. Portanto, a comunidade tem que exercer opinião crítica – e, nesse sentido, o que aconteceu recentemente no Planeta Ubuntu Brasil me pareceu um mal sinal. Arrojar também é muito importante – quem disse que desktop se faz como o [...]

  16. Joao Zanella Says:

    Og,
    Como era de se esperar de alguém como você, uma opinião esclarecedora, madura e serena. Já atuei algum tempo na área de informática – cerca de 06 anos – como analista de sistemas; utilizava banco de dados Progress e ambiente HP-UX (Unix da HP). Nas horas vagas programava em Clipper e Visual Basic. Por muito tempo estava bem envolvido em cursos, seminários e fórum da área de programação. Em determinado momento me casei, e já um pouco mais maduro, me inseri em outra área de conhecimento; porém a paixão pela informática continou. Nunca abandonei o software, sendo que às vezes brinco um pouco. Estou escrevendo isso porque desde que comecei a estudar o conceito de software livre me deparo com excesso de idealismo. Por incrível que pareça, tenho amigos que ainda utilizam Linux em modo texto. Opção deles! Mas se crescemos crescer devemos aperfeiçoar a interface, tornam o ambiente mais acessível ao maior número de pessoas. É essa filosofia, penso, que faça parte da Equipe Ubuntu. Discussões sobre questões filosóficas sempre irão existir. Sorte a nossa ter pessoas como você, mente aberta, que sabe diferenciar o extremismo da coerência. Você tem se tornado uma lenda dentro do Open Source. Continue assim, sempre ativo. Um grande abraço, João Zanella.

  17. Thiago Paes Says:

    Realmente é uma atitude muito estranha.. não vejo nada demais, afinal, o intuito da comunidade não deveria ser ajudar A comunidade? ou apenas uma distro? Como você disse.. realmente já vi essa historinha antes, parece até ‘sessão da tarde’..

    Um abraço Og

  18. Leonardo Bernardes Says:

    Difícil pensar que uma distribuição pode se diversificar e evoluir se não estivermos abertos a críticas.

    Se incorporarmos a mentalidade “os fins justificam os meios” da Microsoft a fim de proteger o Ubuntu logo estaremos partilhando outros aspectos mais sombrios. Liberdade nunca é demais! — Além do mais, a posição dele é uma perspectiva, que não precisa ser assumida como verdade absoluta, eu mesmo tenho outra experiência com o Ubuntu, em 4 lançamentos diferentes, nunca experimentei perdas, ao contrário. É preciso apostar no diálogo e diálogo implica tolerar a diferença, promover a multiplicidade, aceitar e ouvir os pensamentos diversos.

  19. Habilite o bluetooth do Ubuntu pelo Vista Says:

    [...] Og, vou pensar melhor na tua sugestão. [...]

  20. Planeta Ubuntu-BR recomenda - USE FORESIGHT LINUX Says:

    [...] eu já disse anteriormente o Ubuntu com Gnome tá cada dia gordinho e lento ( ,  e existem outras distros com Gnome MUITO mais [...]

Leave a Comment

*